30 de nov de 2017

O RETRATO DE DORIAN GRAY - Leitura Compartilhada #2.

Título: O Retrato de Dorian Gray
Autor: Oscar Wilde
Editora: Martin Claret
N° de Páginas: 215
Gênero: Suspense/Mistério
Classificação: 🌟🌟🌟







A primeira leitura compartilhada com essa turma foi muito boa e continuamos juntos, algumas pessoas saíram, mas quem ficou, engatou uma segunda leitura que foi bem cheia de altos e baixos por causa da obra escolhida - O Retrato de Dorian Gray, do escritor Oscar Wilde.
Oscar Fingal O’Flahertie Wills Wilde, um dos mais importantes escritores do século XIX, nascido em 1854, na Irlanda, escreveu esse romance que foi publicado pela primeira vez em 1890, um escândalo para a sociedade daquela época, tanto, que foi censurado e o autor teve que fazer algumas alterações que amenizassem o seu teor.
A obra fala sobre a beleza extrema de seu personagem principal, Dorian, que a todos fascinava e que foi retratada na pintura de um renomado pintor chamado Basil Hallward. A partir desse acontecimento, combinado com a apresentação de Dorian a um amigo de Basil, o Lorde Henry, a história toma um rumo totalmente inesperado.
Não gosto de falar muito sobre a história dos livros resenhados para não tirar o gosto de quem vai ler pela primeira vez, mas o que posso dizer é que a linguagem é muito poética, sem ser chata, ainda que possa parecer maçante em alguns capítulos, mas que não atrapalha a leitura em si.
A liberdade é o campo aonde se encontra o pecado e a maldade. Quando não existe nada capaz de conter, um desejo que seja, é nesse campo que se esconde o mal.
O primeiro pecado com o qual Dorian se depara, antes mesmo de iniciar a história do livro é a idolatria a si mesmo, à sua beleza e a impressão de que pode fazer tudo sem ter que dar satisfação de nada a ninguém.
Na verdade, essa é uma falsa liberdade, capaz de destruir toda a inocência de qualquer alma nobre. Foi isso que Dorian descobriu depois de se levar pelas palavras de Lorde Henry e cometer tantas loucuras; descobriu que o homem precisa de limites para estar em paz com sua alma. Depois do pecado cometido, não se pode mais voltar atrás sem guardar em si o sabor amargo de não ter escolhido um bom caminho, uma boa atitude. E, ainda que a beleza física faça a festa e conquiste a muitos, a podridão que esconde por dentro não lhe permite encontrar o descanso.
O conto inteiro é um manual de como não se deve viver, ou o que devemos evitar para sermos realmente felizes. Pois a juventude eterna e a riqueza material não é capaz de produzir a felicidade verdadeira.
Esse é o teor do livro. Leitura curta, mas de muita profundidade.
Particularmente, eu detestei o Dorian, mas ele foi magnífico no seu papel. Faz-nos refletir em muito do que a gente vê na sociedade atual que se cobre de beleza e riqueza, mas que é podre por dentro e que tenta mostrar, ou passar uma verdade que não existe e que continua cegando a muitos.
Uma excelente leitura.

Grande abraço,

Drica.

Deixo abaixo, os links de algumas das pessoas que leram o livro nessa Leitura Compartilhada e que fizeram a resenha do livro de uma forma muito completa:



A Biblioteca de Gaia (Cíntia) : https://youtu.be/4hdkQey91Pc
Mundo das leituras (Bruno): https://youtu.be/x_OMAaKDo9s
Leila Cardoso - Livros & Scrap: https://youtu.be/MRiha4ZpHaE
Reticências Blog (Trisha): https://www.youtube.com/channel/UC93U...
Resuminuto (Adriana Tavares): https://www.instagram.com/resuminuto/