2 de out de 2017

BuJo e Leituras de Setembro

Gente, quem aí que nunca precisou de um pouco de organização? Eu sou uma dessas pessoas que preciso sempre estar anotando, relembrando as coisas, pois são muitas atividades para pouco tempo disponível. Tenho tentado ao máximo não sair muito do ritmo normal e para isso, tenho que me valer de ferramentas e aplicativos para organizar meu dia-a-dia.
Se eu já consegui entrar no ritmo? kkkkkkkkkkkk... Nem sei se um dia consigo, talvez eu seja uma daquelas almas bagunceiras que estão soltas aí pelo mundo, mas com uma grande diferença, estou, diariamente, tentando mudar isso em minha vida!
Esse ano eu conheci mais de perto o Bullet Journal, uma técnica de organização criada pelo Design americano Ryder Carrol, que tem o objetivo de reunir num só lugar, os vários aspectos do dia-a-dia.
Gente, que boa ideia foi essa? Eu amei! Ainda não faço exatamente igual a maioria das pessoas, mas como é um estilo de organização que respeita o ritmo e a individualidade das pessoas, o meu BuJo é personalizado e atende às minhas necessidades.

Eu pensei em criar, para organizar, registrar e impulsionar as leituras que faço. Depois fui ampliando um pouquinho e no final do mês montei uma folha dos gastos mensais e a partir desse mês eu coloquei a cada semana uma folha dos gastos semanais. Tenho ganhado muito em qualidade nas leituras que tenho feito com esse método. No mês de setembro, concluí 5 leituras de uma forma mais organizada e com menos ansiedade. Na verdade, eu gostaria de ter lido mais, mas a culpa de ter lido apenas 5 não foi do BuJo, mas do meu acúmulo de atividades e rotina naturalmente bagunçada, #soubagunceirasim (rsrsrs)

Já mudei bastante e faço minhas anotações num caderninho estilo brochura, bem simples, fico babando quando vejo aqueles cadernos estilo Moleskine todos enfeitados das meninas. Também tem muito menino que usa, e não são menos caprichados, mas do meu próprio modo, eu vou colocando minhas cores, meus recortes, minhas colagens e o principal: o registro daquilo que faz a diferença nas leituras que quero concluir. O caderninho, ou BuJo é apenas um pretexto para seguir em frente com a atividade que amo fazer e também um exercício de disciplina. Mostra para mim mesma que nada é impossível quando a gente se dispõe a fazer com seriedade e uma pitada de bom humor.

Meu marido vive dizendo que isso é "síndrome da adolescência tardia" (rsrsrsrs), mas eu não me deixo abater por esses e outros comentários! Vou seguindo com minha doce loucura!

E vocês? O que fazem para registrar suas leituras?
Grande abraço,
Drica.