7 de ago de 2017

Semana do Escritor Nacional 4#. - Adriana Rocha

ADRIANA ROCHA

Primeiramente, peço desculpa, pois por causa de questões de saúde, eu atrasei as publicações que havia iniciado na Semana do Escritor Nacional. Agora, de volta, posso continuar destacando os nomes mais amados, se não do país, mas da lista dos que eu li e que me tocaram a alma. Vamos seguir...
Adriana Rocha é mais um nome de sucesso no panorama da Literatura Nacional.
Filha de pais piauienses: D. Dina Batista da Rocha e S. Calisto José da Rocha, essa paulista de Mogi das Cruzes é filha caçula de 9 filhos, nascida em, 18 de maio de 1973.

Acredito que a lição de garra e de coragem que aprendeu foi passada por seus pais, que saíram ainda jovem de sua terra e foram para São Paulo ganhar a vida. Seu pai laminador e sua mãe, costureira e dona de casa.

Muito cedo amou as letras e começou a compor versos e poemas que culminou em 1987, no seu primeiro prêmio, num concurso de redação de alunos da 7ª e 8ª séries de estado da região do Alto Tietê.

Depois do primeiro prêmio, muitos vieram e acredito que continuam chegando...
Ano: 2009
Seu primeiro livro publicado em 2009, Eu te acompanho até a Cruz, aborda assuntos como drogas, câncer e diversos assuntos polêmicos.
Ano: 2013
Antes de se dedicar de corpo e alma aos seus livros, terminou o curso de enfermagem, período conturbado, que quase a fez desistir de tudo e se perder, mas, como ela mesmo diz em entrevistas dadas, os livros salvaram sua vida e impulsionaram sua carreira.
Ano: 2014
Foi descoberta  pelo Jornal Rádio Revista e nessa época, também escreveu colunas em outros meios de comunicação como a Revista Mulheres que Comandam.
Ano: 2014
Ela se diz uma mulher realizada, com sua família composta de marido e 4 filhos e não escreve pela fama, mas porque ama o que faz, se a fama a alcançar será uma consequência da qualidade que imprime ao seu trabalho. Além de escritora é roteirista.
Ano: 2014
Agora, depois de tanta pesquisa na internet, posso dar minha opinião sobre a Autora e seu trabalho, depois que li o livro Quase tudo bem... (#demorô)
Ano: 2017
Drika,

Você é uma mulher fabulosa! A mais real que eu pude encontrar nessa vida virtual.
Você é o retrato da mulher completa, dona de casa caprichosa, mãe, companheira, que gosta de arrumar seu “ninho” e ainda nos faz rir ou chorar, ou melhor, rir e sonhar!
Fico feliz de nessas andanças virtuais encontrar gente tão real quanto você!
Você me faz bem demais e acredito que faça também muita gente feliz aí, ao seu redor!
Li o seu livro e parece que te encontro em cada página, perdida e encontrada em linhas e parágrafos, mostrando que a arte de escrever nasceu e vive contigo, como o pulsar do seu próprio coração.
Seu coração de mulher-menina é quem faz isso contigo, esse misto de gente que vivenciou tanta coisa e que ainda assim não perdeu a inocência, por isso cativa.
Eu nunca estive pessoalmente contigo e é como se te conhecesse há muito tempo. Acho que te reconheci nesse livro dentro de todas as personagens, pois em cada uma eu pude sentir sua essência.

Obrigada por se apresentar...

Você é um show!

E é isso gente, eu só posso dizer que amei o livro e ri bastante com todas as confusões que as três garotas enfrentaram de muito bom humor: Laura, Lili e Katy entraram para a minha vida depois da leitura!

Vamos ler nossos nacionais?

Grande abraço,

Drica Moreira.