Nossas Histórias


PRIMEIRA HISTÓRIA - ENCONTRO



Ele se levantou cheio de boas intenções. Passou rapidamente para o banheiro, lavou o rosto demoradamente, penteou os cabelos, escovou os dentes e ficou imaginando o que iria fazer depois. Certamente, iria acertar a barba e tomar um bom banho, pensando no encontro que teria mais tarde! Mas, aquele encontro não poderia ser como qualquer um, ou como os outros, deveria ter um toque especial.

Ele se encaminhou depois do banho para sua pequena cozinha. Engoliu rapidamente o seu café e pegou sua bicicleta. Rodou por algumas poucas quadras e chegou àquele cenário paradisíaco: Um mar azul imenso, combinado com o sol ao fundo. Crianças brincando com seus baldinhos, bem próximo ao mar, tendo ao seu lado, mães e babás atentas a qualquer movimento estranho, ou para evitar que os pequenos escapassem da área de visão. Os homens a beliscar petiscos, tomar seus refrigerantes ou cervejas, ou mesmo uma boa água de coco, apreciando o intenso movimento das lindas garotas que habitavam aquele paraíso.

Entre essas lindas garotas, uma especial, igual ao encontro. Estava um pouco afastada do grupo, deitada em uma esteira de palhinha, com estampas bordadas de azul nas extremidades. Óculos escuros e chapéu delicado. Tudo combinava muito bem com essa imagem e o fez descer de sua bicicleta, no calçadão. encontrou um local para estacionar o seu veículo e tocou a areia como um felino, bem de leve, para não espalhar areia em volta. Venceu a distância decididamente disposto a aproveitar cada minuto daquela visão.

- Bom dia! - falou com firmeza.

Ela, sentou-se rapidamente e retirou os óculos, mostrando seus olhos escuros, atentos ao movimento dele. Quando o percebeu, abriu um largo sorriso e respondeu - Bom dia!

Ele se sentou na esteira e ficou ao seu lado, anestesiado pela proximidade com o seu corpo e pelo cenário. Olharam juntos para o mar. O azul do bordado da esteira se misturou ao azul do céu, ao azul do mar... Parecia um quadro pintado em degradê. Não precisava dizer mais nada. Tudo era perfeito. Duas mãos se encontraram e ficaram por longos minutos, num abraço infinito... Quem poderia pedir mais da vida? Agora era apenas uma questão de tempo para a vida se tornar uma série de quadros perfeitos.




Topo