18 de abr de 2017

VOLTANDO AO JORGE DE LIMA. QUEM FOI MESMO?

Primeiramente, gostaria de pedir desculpas pelo novo adiamento do post (que deveria ter saído na quinta-feira passada - Atrasadíssima!). Tive problemas com a internet de casa e ficou impossível postar no dia combinado, mas aqui estamos para descobrirmos quem foi esse brasileiro cheio de obras e tão importante para a segunda fase do Modernismo no Brasil!

JORGE DE LIMA, nascido no dia 23 de abril de 1893 teve uma vida muito cheia de atividades. Foi político, médico, poeta, romancista, biógrafo, ensaísta, tradutor e pintor... como será que conseguiu ser tudo isso e ficar tão escondidinho para gente como eu, que nunca tinha ouvido falar dele, até achar na livraria uma de suas obras, publicada pela editora Cosac Naify. E o que me chamou atenção na obra? Lembram? Se não lembram ou não viram os posts anteriores pega um atalho AQUI.


Voltando ao Poeta...

Ele nasceu em União dos Palmares - Alagoas. Era filho de um comerciante rico que em 1902 mudou-se com a família para Maceió. Em 1909, iniciou sua faculdade de medicina, em Salvador-BA, mas só concluiu o curso no Rio de Janeiro em 1914. Recém-formado, voltou para Maceió, iniciando sua dedicação à medicina, literatura e política. Em 1930, voltou ao Rio e montou um ateliê de pintura (no mesmo local do consultório). Um local que funcionava como ponto de encontro de intelectuais. Por lá, reuniu-se com Murilo Mendes, Graciliano Ramos, José Lins do Rego e outros nomes que tão bem conhecemos da Literatura Nacional.

Jorge Matheos de Lima faleceu no Rio de Janeiro, no dia 15 de novembro de 1953. Durante sua vida, também esteve envolvido na política, como Deputado Estadual. Foi professor de Literatura e em 1935 foi eleito Governador do RJ. Em 1940, recebeu o "Grande Prêmio da Poesia" da Academia Brasileira de Letras.

Fico aqui, imaginando o porquê um poeta com todo esse trabalho na área das Letras, inclusive com influência na política e em outras artes, ficou escondido por tanto tempo e um total desconhecido para tanta gente. Quem pode responder? Se você sabe, por favor, divida com a gente essas informações.

Jorge de Lima escreveu texto em versos e prosa tendo como foco a cultura brasileira. Suas obras tem como tema aspectos sociais do regionalismo e da religião.

O livro do poeta que me chamou atenção foi CALUNGA (ainda lendo).


Sua obra ainda se estendeu aos limites do Samba, sendo cantado pela Estação Primeiro de Mangueira, no Carnaval de 1975, lembrado pelos seus versos a uma tal "Negra Fulô", na voz marcante de Jamelão.

Essa é uma alusão a um dos mais conhecidos poemas dentro de uma de suas obras intitulada de Poemas Negros e rendeu à Mangueira o segundo lugar na classificação.

Abaixo, deixo um vídeo da Tatiana Feltrin, falando sobre esses Poemas Negros para quem estava se preparando para UNICAMP (2016). Vale a pena parar um pouco e ouvir.


E é isso, pessoal!
Vamos vasculhar mais um pouco as obras do Jorge de Lima e conhecer um pouco mais sobre os nossos escritores?

Boa Leitura!

Drica.