21 de jul de 2017

25 de Julho - Dia Nacional do Escritor


Preparação para o Dia do Escritor



Estamos bem próximo da data de comemoração do Dia Nacional do Escritor - dia 25 de Julho. Vale salientar que a data de comemoração Internacional do Escritor é 13 de outubro. Mas, vamos voltar para a nossa boa terrinha...

Estive pensando num projeto para homenagear escritores brasileiros e sem querer desmerecer a importância dos escritores clássicos brasileiros, pensei em destacar alguns dos novos nomes, pelo menos aqueles que conheço e dos quais eu posso falar.

A origem do Dia Nacional do Escritor se deu a partir do Festival do Escritor Brasileiro, organizado pela União Brasileira dos Escritores durante a década de 60. Era presidida por dois grandes nomes: Jorge Amado e João Peregrino Júnior. Hoje em dia é quase certo que a gente só se lembre do Jorge Amado, até porque muitas de suas obras viraram novelas, filmes e séries.

Sabemos da grande importância de nomes como Machado de Assis, José de Alencar,  Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade, Clarice Lispector, Cecília Meireles, Ana Maria Machado, Lygia Fagundes Telles e de tantos outros nomes que estudamos no decorrer de nossa vida estudantil. Mas, eu gostaria de abrir nesse post a oportunidade de conhecermos os nomes atuais que circulam nas feiras de livros, nos grandes e nos pequenos eventos do nosso país.

A princípio, gostaria de falar de 5 nomes, um para cada dia da semana e gostaria de que cada um que se sentisse tocado, pudesse colocar no seu próprio blog, os nomes nacionais que fazem parte da sua história de leituras, desta forma, estaríamos descobrindo novos nomes e fazendo com que outras pessoas tivessem acesso às suas obras.

Então, o projeto é o seguinte:

Fazer a próxima semana, se possível, uma semana voltada para autores nacionais da atualidade, com posts, vídeos e tudo quanto pudesse ser feito de divulgação para nos enriquecermos uns com os outros e dentro do nosso próprio quintal.

O que acharam do desafio?

Vamos em frente?

Grande abraço a todos!

Drica.

18 de jul de 2017

O Carteiro e o poeta - Antonio Skármeta


Título: O carteiro e o poeta

Autor: Antonio Skármeta

Ano: 2017

Nº de Páginas: 176

Editora: Record



Sinopse:

O romance que consolidou Antonio Skármeta como um dos autores mais representativos da nova literatura latino-americana 

O que mais pode querer um homem apaixonado que ter um dos maiores poetas latinos como conselheiro sentimental? Mario Jiménez é um afortunado carteiro responsável pela correspondência de certo senhor que poderia ser apenas um simples ancião experiente e bem-falante sobre as coisas do amor, se não fosse ele Pablo Neruda. 

A cada nova remessa de cartas, o humilde funcionário do serviço de correios chileno e o poeta consolidam uma relação inusitada: Mario vê no escritor e diplomata o cúmplice ideal nas considerações sobre a propriedade das metáforas e o mestre supremo na arte do amor. 

Em meio à efervescência política do Chile na virada da década de 1960 para 1970, a improvável amizade floresce. É do prêmio Nobel de Literatura que o carteiro busca conselhos sobre como conquistar o coração da garçonete Beatriz. E é do simples Mario que Neruda recebe os sons de sua casa, quando, doente, pede ao rapaz que grave os ruídos que encontrar pela Ilha Negra. Tal encontro, tão fictício quanto as figuras do carteiro e de sua amada, é promovido por Antonio Skármeta neste tempestuoso, engraçado e apaixonante romance. Uma inesquecível homenagem a Neruda, ao amor e à poesia.



Foi uma grata surpresa encontrar, por acaso, esse livro numa livraria virtual, quando eu estava procurando um outro título. 

Nunca li Pablo Neruda, mas me encantei por esse livro, que é uma homenagem clara ao escritor chileno e até procurei saber um pouco mais sobre o mesmo.

Mas, na obra O carteiro e o poeta, Antonio Skármeta narra a história do filho de um pescador, chamado Mário Jiménez que consegue um trabalho como carteiro particular de Pablo Neruda, como foi dito na sinopse.

Fico imaginando aqui, a extrema riqueza que se espera de uma amizade que nasce durante esse ofício de trazer e levar cartas e fico na expectativa de poder saborear o livro. Não pude deixar de partilhar essa minha "descoberta", pois depois de ler a sinopse e de contemplar a linda capa da obra é impossível não querer comprar e ler essa história.

E vocês? Digam-me se já tinham ouvido falar desse livro e desse autor.

Grande abraço,

Drica.





14 de jul de 2017

Maratona Literária de Inverno 2017 - Para esquentar sua vida!!!


Olha o Victor Almeida do Canal Geek Freak!

Vamos começar a nos ligar? Por que já começa esse final de semana. A Maratona Literária de Inverno é um incentivo para as leituras que a gente sonha em colocar para frente, com um diferencial: você vai compartilhar suas leituras, suas impressões, além de se divertir com muitos desafios que virão enquanto a gente lê pra se acabar (rsrsrsrs).

O período da maratona vai de 16 a 30 de julho, mas vamos ter um "esquenta" no dia 15, às 16:00 horas, para poder entrar no ritmo. Essa é a minha primeira MLI e estou ansiosa para concluir algumas leituras que eu já iniciei. Como eu estou em outros desafios no ano, escolhi participar no Nível Fácil. 

Vamos saber quais são os desafios?

Nível Fácil


1 - Ler um livro de capa azul - Escolhi Senhor das moscas de William Golding
2 - Ler um livro com menos de 200 páginas - Escolhi A Morte de Ivan Ilitch - Lev Tolstói (já iniciado)
3 - Ler um livro que foi comprado pela capa - Escolhi O Tempo das Borboletas - Andrea Portes

Nível Intermediário


4 - Um livro escrito por mulher
5 - Um livro que você não conhece a sinopse e não faz ideia sobre o assunto
6 - Um livro Nacional

Nível Hardcore


7 - Um livro que apresente um período histórico importante
8 - Um livro que tenha pontuação no título.
9 - Um livro criticado ou que alguém não gostou.

Vai ser muito legal acompanhar o pessoal que vai participar desta MLI-2017. Estou ansiosíssima! 
E vocês? Vão ficar aí só olhando?

Vou deixar o link para vocês acessarem a apresentação da maratona feito pelo próprio Victor Almeida! Lá tem mais informações e um desafio extra.


Grande abraço a todos e preparem os livros e agasalhos!!!

Drica.

4 de jul de 2017

VIDA E DESTINO e OS RUSSOS


TÍTULO: OS RUSSOS
AUTOR: ANGELO SEGRILLO
EDITORA: CONTEXTO
NÚMERO DE PÁGINAS: 288
ANO: 2012











É muito interessante notar as diferenças de cultura entre os povos. A Editora Contexto tem lançado alguns títulos que são realmente louváveis sobre algumas culturas. Os Russos faz parte dessa coleção e eu tenho experimentado com essa leitura uma melhor compreensão da forma com que outras culturas, que não a brasileira, conservam suas tradições e costumes.

Como estou participando, esse ano do Desafio Livrada! e estamos compartilhando nesse mês de julho a leitura de Vida e Destino - Vassili Grossman, tenho experimentado o valor da obra da Contexto, mesmo que não seja nada muito aprofundado, mas aspectos gerais narrados por alguém que viveu na Rússia por muitos anos e conviveu com aquele povo. 

No livro Vida e Destino posso destacar um diálogo entre duas mulheres, esposas de soldados que serviram na guerra. 


"Vocês são engraçadas - disse Aleksandra Vladímirovna -, vieram de Moscou e trouxeram o seu ambiente moscovita com vocês."

Esse diálogo ocorria entre a Aleksandra Vladímirovna e Liudmila Nikoláievna, sobre a forma de se relacionar da segunda, quase sem amigos e muito fechada.

Lembrei logo de uma informação do livro da Contexto que dizia que a forma de se definir a nacionalidade na Rússia era totalmente diferente da que a gente faz aqui no Brasil e até em outros locais do mundo.

Os russos utilizam o conceito de "jus sanguinis" para marcar suas diferenças. O que isso significa? Que eles definem a nacionalidade pela ascendência (pais). Se um casal brasileiro vai morar por lá e tem um filho, esse bebê não será russo, mas brasileiro, mesmo que ela nunca pise no Brasil. Existe o Russo legítimo, chamado "russkii" filho de pai e mãe russos, e o indivíduo que nasce, ou vive na Rússia, mas que não é da etnia russa, chamado "rossiyanin". Se um estrangeiro se casa com alguém que é russo legítimo, esse bebê pode vir a ser definido como russo, se os pais decidirem que ele levará a nacionalidade do pai ou mãe russo.

Complicado?
Foto de Domínio Público - site Pixabay

Talvez!
Festa Junina - Foto de Domínio Público - site Pixabay
Para nós, brasileiros, que costumamos misturar tudo e achar muito normal, sim! Aqui, todos nós somos brasileiros a partir do momento em que nascemos neste solo.
Carnaval - Foto de Domínio Público - site Pixabay
Então, qual é o objetivo do povo russo? Sem dúvida que é a defesa de sua própria cultura. Num primeiro momento, isso parece ser um absurdo, pois cria uma atmosfera de "guerra interna", pois quando você não inclui no seu grupo pessoas que convivem com você, automaticamente você exclui essas pessoas de suas relações mais íntimas. A gente costuma ver esses núcleos étnicos fechados no Sul do país (Brasil), aonde os descendentes de povos alemães se concentram em grupos de cultura muito forte e que não toleram muito a mistura com pessoas estranhas às suas origens.
Canela - Foto de Domínio Público - site Pixabay
E esse é uma forma de manter viva a cultura de um povo.
Matryoshkas - Foto de Domínio Público - site Pixabay
A leitura do Vida e Destino, mais do que uma experiência de saber mais sobre o que a guerra foi capaz de causar naquela porção do globo, faz a gente descobrir esses aspectos culturais e refletir um pouco sobre as dificuldades que eles foram capazes de suportar e mesmo assim manter suas tradições tão bem resguardadas. 

Convido a quem gosta de uma boa leitura a fazer também essa viagem no tempo e no espaço e conhecer mais sobre a guerra e seus desdobramentos.

Abraços,

Drica.

28 de jun de 2017

6 LIVROS PARA CURTIR O FRIOZINHO



A Laura Brand está indicando no seu blog (Nostalgia Cinza) 6 livros para a gente curtir o friozinho do inverno, pelo menos aqueles que tem o friozinho para apreciar, meus pais e minha filha moram depois de onde onde vento faz a curva (rsrsrs) chove muito pouco por lá, mas pelo menos quando a pessoa quer ter a idéia do que seja o frio, tem a opção de abrir um livro “de Inverno”. Vou apostar nessas seis leituras do post. Algumas eu já conheço, outras, ainda vou ler!


Clique para ir para a página de onde retirei a foto
O que interessa mesmo é se aquecer com um bom “cobertor de orelhas”, e quem não tem, pode fazer uma xícara de chocolate quente, colocar o pijama, o chinelão e cair na cama na companhia de um bom livro!


1 - Depois daquela montanha - Charles Martin


O Dr. Ben Payne acordou na neve. Flocos sobre os cílios. Vento cortante na pele. Dor aguda nas costelas toda vez que respirava fundo.
Teve flashes do que havia acontecido. Luzes piscavam no painel do avião. Ele estava conversando com o piloto. O piloto. Ataque cardíaco, sem dúvida.
Mas havia uma mulher também – Ashley, ele se lembra. Encontrou-a. Ombro deslocado. Perna quebrada.
Agora eles estão sozinhos, isolados a quase 3.500 metros de altitude, numa extensa área de floresta coberta por quilômetros de neve. Como sair dali e, ainda mais complicado, como tirar Ashley daquele lugar sem agravar seu estado? À medida que os dias passam, porém, vai ficando claro que, se Ben cuida das feridas físicas de Ashley, é ela quem revigora o coração dele. Cada vez mais um se torna o grande apoio e a maior motivação do outro. E, se há dúvidas de que possam sobreviver, uma certeza eles têm: nada jamais será igual em suas vidas.
Publicado em mais de dez países, Depois Daquela Montanha chegará às telas de cinema em 2017, com Kate Winslet (de Titanic) e Idris Elba (de Mandela) escalados para os papéis principais de uma história que vai reafirmar sua crença na vida e no poder do amor.

2 - Neve de Primavera - Sarah Jio


Seattle, 1933. Vera Ray dá um beijo no pequeno Daniel e, mesmo contrariada, sai para trabalhar. Ela odeia o turno da noite, mas o emprego de camareira no hotel garante o sustento de seu filho.
Na manhã seguinte, o dia 2 de maio, uma nevasca desaba sobre a cidade.
Vera se apressa para chegar em casa antes de Daniel acordar, mas encontra vazia a cama do menino. O ursinho de pelúcia está jogado na rua, esquecido sobre a neve.
Na Seattle do nosso tempo, a repórter Claire Aldridge é despertada por uma tempestade de neve fora de época. O dia é 2 de maio. Designada para escrever sobre esse fenômeno, que acontece pela segunda vez em setenta anos,
Claire se interessa pelo caso do desaparecimento de Daniel Ray, que permanece sem solução, e promete a si mesma chegar à verdade. Ela descobrirá, também, que está mais próxima de Vera do que imaginava.

3 - Noite Polar - MIchelle Paver


Em janeiro de 1937, Londres já pressente a guerra. Pobre, sozinho e em busca de uma vida melhor, o jovem Jack agarra a chance de embarcar numa expedição ao Ártico. Mas na baía de Gruhuken, onde o grupo deve acampar durante um ano, o inverno traz consigo acontecimentos estranhos e Jack vê seus companheiros deixarem a expedição, um a um, enquanto percebe que algo se move em direção a ele na escuridão do ártico. Elogiado pela imprensa britânica, Noite polar é uma história sobre fantasmas, mas também uma instigante reflexão metafísica sobre vida, morte e tudo o que escapa às certezas da razão.




4 - Jardim de Inverno - Kristin Hannah


Meredith e Nina Whiston são tão diferentes quanto duas irmãs podem ser. Uma ficou em casa para cuidar dos filhos e da família. A outra seguiu seus sonhos e viajou o mundo para tornar-se uma fotojornalista famosa. No entanto, com a doença de seu amado pai, as irmãs encontram-se novamente, agora ao lado de sua fria mãe, Anya, que, mesmo nesta situação, não consegue oferecer qualquer conforto às filhas.
A verdade é que Anya tem um motivo muito forte para ser assim distante: uma comovente história de amor que se estende por mais de 65 anos entre a gelada Leningrado da Segunda Guerra e o não menos frio Alasca. Para cumprir uma promessa ao pai em seu leito de morte, as irmãs Whiston deverão se esforçar e fazer com que a mãe lhes conte esta extraordinária história.
Meredith e Nina vão, finalmente, conhecer o passado secreto de sua mãe e descobrir uma verdade tão terrível que abalará o alicerce de sua família… E mudará tudo o que elas pensam que são.
“Difícil não rir um tanto e chorar ainda mais com a história de mãe e filhas que se descobrem no último momento.”
– Publishers Weekly
A história que sua mãe conta é como nenhuma outra já ouvida por elas antes — uma história de amor cativante e misteriosa que dura mais de sessenta anos e parte da Leningrad congelada e devastada pela guerra até o Alasca, nos dias atuais. A obessão de Nina por esconder a verdade as levará a uma inesperada jornada ao passado de sua mãe, onde descobrirão um segredo tão chocante, que abala a estrutura da família e muda quem elas acreditam ser.

5 - Uma jornada no inverno - Toby Clements



Primeiro de uma série épica assinada pelo britânico Toby Clements, Uma jornada no inverno é um hino à coragem e à resistência humanas urdido com rigor e paixão. Ambientado durante a sangrenta Guerra das Rosas, o livro mescla uma precisa reconstrução histórica com o ritmo ágil dos melhores romances, ao acompanhar os desdobramentos da brutal disputa de poder entre duas famílias pela perspectiva de pessoas comuns, homens e mulheres tentando sobreviver numa Inglaterra dominada pelo medo e pela violência. Um romance histórico vívido e brilhante, perfeito para fãs de clássicos como Os pilares da Terra, de relatos históricos e de séries como Game of Thrones.

6 - A menina da neve - Eowyn Ivey


Alasca, 1920: um lugar especialmente difícil para os recém-chegados Jack e Mabel. Sem filhos, eles estão se afastando cada vez mais um do outro. Em um dos raros momentos juntos, durante a primeira nevasca da temporada, eles constroem uma criança feita de neve. Na manhã seguinte, a criança de neve some. Dias depois, eles avistam uma criança loira correndo por entre as árvores. Uma menina que parece não ser de verdade, acompanhada de uma raposa vermelha e que, de alguma formam consegue sobreviver sozinha no frio e rigoroso inverno do Alasca. Enquanto Jack e Mabel se esforçam para entender esta criança que parece saída das páginas de um conto de fadas, eles começam a amá-la como se fosse sua própria filha. No entanto, nesse lugar bonito e sombrio, as coisas raramente são como aparentam, e o que eles aprenderão sobre essa misteriosa menina irá transformar a vida de todos.

Boa leitura, gente!

Drica.